Notícias:
Estado do Rio anuncia que irá começar a vacinação contra a Covid-19 no dia 20 de janeiro

RIO – O governo do Estado do Rio de Janeiro,  informou neste domingo (17), através das equipes técnicas da Secretaria de Estado de Saúde, está preparado para a orientação e o apoio na aplicação das vacinas CoronaVac e Oxford/Astrazeneca a todos os 92 municípios do Rio de Janeiro, de forma simultânea e proporcional. A aprovação, hoje, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, do uso emergencial representa uma importante etapa vencida no combate ao novo coronavírus. O governador em exercício Cláudio Castro viaja de madrugada para São Paulo, onde amanhã participará de um encontro de governadores com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para trazer as doses de vacina para o Rio. O ministro anunciou que a vacinação começa quarta-feira, dia 20, em todo o País.

Foto: Divulgação

“Essa é uma vacinação para todos, sem discriminação, mantendo e respeitando as instituições. Confiamos nos técnicos da Anvisa, no Plano Nacional de Imunização e agora todos os estados, todos os municípios, juntos, serão atendidos. Será uma vacina para todos”, ressaltou o governador em exercício Cláudio Castro.

A Secretaria de Estado de Saúde – SES vai seguir o Plano Nacional de Imunização – PNI do Ministério da Saúde, que prevê a distribuição de vacinas contra a Covid-19 para todos os estados do País. O PNI, que há mais de 45 anos é o responsável pelas campanhas de vacinação brasileira, acontecerá inicialmente em quatro fases, obedecendo a critérios logísticos de recebimento e distribuição das doses.

A primeira fase prioriza os trabalhadores de saúde, a população idosa a partir de 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência e população indígena. A segunda fase inclui pessoas de 60 a 74 anos. A terceira fase prevê a vacinação de pessoas com comorbidades. A quarta fase abrangerá professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e a população privada de liberdade.

Foto: Divulgação

“A vacinação é o início do processo que vai nos devolver uma vida parecida com a que tínhamos antes dessa pandemia. Mas não podemos descuidar dos cuidados com a prevenção, o uso de máscara, o distanciamento e a higiene das mãos”, alerta o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

Toda a preparação para a vacinação no Rio de Janeiro está pronta. Foram definidos 1,5 mil postos de saúde e clínicas da família que devem participar da imunização. A Secretaria Estadual de Saúde pode abrir mais 3 mil pontos de apoio, utilizando espaços de escolas, supermercados, shoppings e quartéis dos Bombeiros.

Neste domingo, a SES realizou o segundo dia de distribuição de seringas para os municípios fluminenses. Ontem, foram enviados 3.346.800 de seringas com agulha para 30 cidades. Hoje, foram distribuídas 115.500 seringas descartáveis de 3ml com agulha para outros 19 municípios. Ao todo, nesta primeira fase, a SES enviará 5,5 milhões de kits para todo o Estado. Uma mega-operação, com apoio da Polícia Militar,  foi montada para realizar a distribuição do material  para todas as regiões fluminenses.

Foto: Divulgação


As equipes técnicas da Secretaria de Estado de Saúde e dos municípios estão capacitadas para o monitoramento e terão o apoio do grupo técnico já constituído pela subsecretaria de Vigilância em Saúde.

A população-alvo para vacinação pode e precisa acreditar na importância deste momento, após avaliação criteriosa realizada pela Anvisa, definindo a segurança de ambas. Os dois imunizantes trarão diminuição de casos no enfrentamento à doença. A vacinação aumentará a proteção individual e coletiva da população”, avalia a subsecretária de Vigilância em Saúde, Cláudia Mello.

No início de janeiro, o governador em exercício se reuniu com a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, para uma visita a Bio-Manguinhos, o centro de produção será responsável pela vacina de Oxford/AstraZeneca no país. A expectativa é que, em abril, toda a fabricação desse imunizante no Brasil seja realizada pela Fiocruz, que prevê a entrega de 100 milhões de doses até julho.

Em dezembro, o Governo do Estado e a Fiocruz assinaram a escritura definitiva do terreno onde será instalado o Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde (CIBS), no Distrito Industrial de Santa Cruz, na Zona Oeste da capital. O espaço, cedido pela Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin), receberá a maior fábrica de vacinas da América Latina, que vai quadruplicar a capacidade de produção anual de frascos de imunizantes e biofármacos da Fiocruz.

Com informações do Governo do Estado do Rio de Janeiro

%d blogueiros gostam disto: